Idosos com cachorro têm 40% menos chances de demência, diz estudo

 

Ter um cachorro em casa reduz o risco de idosos desenvolverem demência em até 40%, afirmam pesquisadores do Japão. A descoberta foi publicada em outubro deste ano, na revista científica Preventive Medicine Reports.

De acordo com os cientistas do Instituto Metropolitano de Gerontologia de Tóquio, o cachorro aumenta a probabilidade de sair de casa, levando o idoso a praticar mais atividade física e a ter mais interações sociais.

A atividade mental melhora a capacidade do cérebro de lidar com a situação e continuar trabalhando, com um efeito supressivo no desenvolvimento da doença.

“Os donos de cães com hábitos de exercício e sem isolamento social tinham um risco significativamente menor de demência incapacitante”, afirmam os autores da pesquisa no trabalho.

Clique aqui e leia o artigo completo


《《《《《        》》》》》

Confira as últimas novidades:
Como ajudar parentes mais velhos a evitar golpes na Internet
Quais são os benefícios dos condomínios para idosos e como eles funcionam


Inscreva-se no grupo 
Filhos Atentos do Facebook, e participe da comunidade que reconhece no cuidado do ente querido uma grande responsabilidade, carregada de emoção e alegria!



Postagens mais visitadas deste blog

Dicas de presente para o idoso

Mercado imobiliário deve apostar em tecnologia e inovação para incluir pessoas com deficiência

Quais são os hobbies mais populares entre aposentados?