Dicas para a mesa de computador para o idoso

Estamos na era digital.
Para os idosos, os avanços tecnológicos chegam da mesma forma que para os mais jovens, sendo a única diferença, a velocidade com a qual são absorvidos. Um item determinante é o espaço adequado para o acesso ao mundo digital.
Para o idoso, a estação de trabalho onde fica o computador funciona simultaneamente como um sistema de entretenimento, espaço para escrever, pagar contas, local de aprendizado contínuo e, principalmente, uma porta de entrada para a conexão social.

Dica: a consultoria de um arquiteto pode facilitar bastante a escolha do mobiliário e demais intervenções. 
Entre em contato conosco para mais informações.

Para adequar a estação de trabalho ao idoso precisamos considerar suas limitações atuais e as que ainda podem chegar com o tempo como baixa visão, artrite, dores, sabendo que ajustes simples podem ser providenciados para experimentar com mais conforto a descoberta da era digital.

1 – ESCOLHENDO A MESA
Determinar a altura da mesa é fundamental. Em alguns casos, as medidas padrão de mercado não são adequadas. A mesa deve permitir que a pessoa dobre os braços em 90 graus durante a digitação. Caso o usuário seja um cadeirante, considere uma mesa sob encomenda, com altura adequada e espaço suficiente para acomodar o usuário e sua cadeira de rodas.
A mesa também deve agrupar todos os itens importantes, como telefone ou impressora, para que tenha acesso sem precisar se levantar e minimizar quedas e esforços dispensáveis.
Deve ser um espaço acolhedor e iluminado adequadamente, pois muita luz pode produzir brilho na tela do computador, o que prejudica ainda mais quem tem baixa visão.


2- O MONITOR
Depois de escolher a mesa adequada, precisamos garantir o posicionamento correto do monitor. Ele deve ficar a uma distância de 45 a 70 cm do rosto, com a parte superior da tela no nível dos olhos do usuário. Se necessário coloque um suporte para elevar o monitor para que a altura fique correta. Para aqueles que tem baixa visão ou cansaço visual, você pode alterar a configuração do tamanho da fonte da tela, instalar um programa de voz para texto e ainda, utilizar um programa que suaviza o brilho da tela de acordo com a hora do dia.

3- ESCOLHENDO MOUSE E TECLADO
Existem diversas opções de teclados e mouses ergonômicos, curvados, projetados para evitar a tensão muscular. Alguns modelos são específicos para quem sofre de artrite. Eu, por exemplo, utilizo um modelo desenvolvido pelo professor da USP, Dr. Segalle, o ORTHOMOUSE, totalmente ergonômico, que solucionou meus problemas de dor por repetição, após horas seguidas trabalhando com softwares de projeto. Se mesmo assim, a fadiga ou dor persistir, um apoio de gel na frente do teclado para que os pulsos descansem, pode ajudar bastante. O uso de mouse pad para facilitar o deslize do mouse e um teclado iluminado, tornam a atividade mais produtiva.
 4- A CADEIRA
Uma cadeira adequada deve ter espaço entre as laterais e o encosto, não pode ser justa demais. Quando sentada a pessoa deve ficar com os pés apoiados no chão e os joelhos devem estar no nível dos quadris. A cadeira deve ter braços para servir de apoio enquanto estiver teclando, assim como, será um suporte ao levantar e sentar. A escolha de uma cadeira giratória deve ser analisada juntamente com outros aspectos do usuário, sempre prevalecendo a segurança. Se o espaço for utilizado por mais de uma pessoa, é imprescindível que tenha regulagem de altura. Adicione suporte adequado para costas ou pescoço, se necessário e coloque um tapete antiderrapante debaixo da cadeira para evitar quedas. Um descanso para os pés pode ser útil também.

Uma estação de trabalho adequada pode ajudar a incentivar o idoso a usufruir os benefícios que os facilitadores digitais oferecem, incluindo acesso às informações médicas, utilização das redes sociais e conexão com amigos e familiares.
Envelhecer em sua própria casa exige adequações pontuais, visando sempre a qualidade de vida e o envelhecimento saudável.

Comentários