Tecnologias para a liberdade!


Quase 90% dos idosos preferem ficar em suas próprias casas à medida que envelhecem, mesmo que comecem a precisar de assistência médica diária.

Hoje, os sistemas de monitoramento de alta tecnologia e outros aparelhos ajudam os idosos a envelhecerem de forma independente, ao mesmo tempo em que dão aos familiares maior tranquilidade neste processo. Além disso, os custos para implantação dessas tecnologias na própria residência podem ser bem mais acessíveis do que  os gastos com uma casa de repouso.

Vejamos a seguir alguns exemplos das soluções fáceis e já disponíveis no mercado.

SENSORES

A utilização de sensores instalados em pontos estratégicos da casa, forma um conjunto de informações sobre a rotina do morador.  Depois de algumas semanas instalado, o sistema entende a rotina do usuário podendo detectar mudanças no comportamento, que possam sugerir riscos. O filho, cuidador ou serviço de monitoramento contratado pode ser alertado por telefone, e-mail ou mensagem de texto, caso identifique alguma alteração. Ocorrências como queda, movimentação em horário fora do habitual ou medicação esquecida, podem facilmente ser monitoradas a distância.


Sensores específicos podem ser colocados sob o lençol, para alertar sobre a rotina do idoso. 

Por exemplo, o monitoramento do sono do idoso pode ser feito através de um sensor colocado sob o lençol. Consiste em um conjunto de sensores de alto desempenho que obtém informações como posição, seu ritmo respiratório e cardíaco. Este tipo de tecnologia não exige o manuseio do idoso, permitindo um monitoramento permanente de seu estado, durante o sono.

Sensores não invasivos podem ser distribuídos pela casa para alertar algumas atividades, ou a falta delas.

Menos invasivos e mais inteligentes do que câmeras de vídeo, os sensores de detecção de movimento,  presença, de abertura ou fechamento, entre outros, podem ser instalados em portas, janelas, armários, etc.

PINGENTES OU BRACELETES DE PÂNICO

Os pingentes ou braceletes de emergência, com detecção de queda, podem ser usados no pulso ou num colar, podendo ser pressionado no caso de uma emergência (como numa queda) quando é feito um chamado instantâneo para o número pré-agendado. As características podem variar entre as marcas existentes no mercado. Alguns tem opção de voz ou o recurso de “detecção de queda” que aciona o alarme mesmo que o botão não seja pressionado, outros já incluem localizador GPS, para encontrar a pessoa em caso de emergência fora de casa. 

Pingentes ou braceletes de pânico

DISPENSERS DE MEDICAÇÃO

Qual de nós nunca esqueceu o horário de um remédio ou se ele já foi tomado?

Com o idoso isso não é diferente, mesmo por que, as quantidades e variedades aumentam em função das complicações de saúde. Várias empresas enxergaram essa necessidade e desenvolveram equipamentos que podem ser abastecidos e programados para lembrar ou dispensar os medicamentos no horário correto.

Eles são equipados com alarmes sonoros e luminosos que disparam na hora pré-programada e desliga automaticamente quando a medicação for consumida. Alguns deles, já dispensam o comprimido diretamente num copo acoplado, facilitando o manuseio.

Dispenser de medicação

SOFTWARES DE INTEGRAÇÃO

Já existem no mercado, softwares e aplicativos para smartphones e tablets que organizam todas essas informações numa única plataforma, facilitando o controle dos dados. Todas as informações coletadas são enviadas para a nuvem, e são organizadas e disponibilizadas no gadget de sua preferência.

Comentários